Travei na Programação. E agora?

“Travei na programação” é algo que eu sempre costumo escutar dos programadores. Afinal de contas, qual programador nunca chegou naquele ponto onde ele simplesmente não consegue ir adiante?

E nessas horas o programador costuma apelar pra explicações sobrenaturais, que obviamente não vão resolver o problema. Sinto informar você, mas ficar afirmando que programação é “coisa do capeta” e fazer reza braba não são soluções que você deve buscar.

E pra ajudar você nesses momentos, dê uma olhada no vídeo que eu gravei falando justamente sobre este tema:

 

 

Quando você está programando e chega naquele ponto que não consegue sair do lugar, nem sempre você pode olhar pro lado e ter alguém disponível pra tirar as suas dúvidas. É justamente por isso que você deve ter em mente que você precisa desenvolver uma característica fundamental que está presente em todos os programadores TOP: a capacidade de se virar sozinho!

Eu contei pra você no vídeo a história sobre quando eu comecei a trabalhar profissionalmente com Java, sobre a forma que fui jogado “na fogueira”. E eu não tinha a quem recorrer, a não ser à internet. Eu travei na programação várias vezes nessa época e foi a internet que me salvou. Foi nesse período que eu descobri que a frase “o Google é o melhor amigo do programador” é 100% verdadeira.

Portanto a minha dica de ouro pra você é: se você travou, vá pesquisar a solução! A internet tem tanto material que é muito difícil você não achar uma solução pro seu problema, pois é muito provável que muitas outras pessoas já tenham passado pelo mesmo perrengue que você.

Procure em fóruns, blogs sobre o tema, artigos… A solução muito possivelmente está na internet em algum lugar, esperando você encontrá-la 🙂 Ah, e se você pesquisar sobre o seu problema usando termos em inglês, a chance de você achar a solução mais facilmente aumenta de forma considerável. #ficaadica!

Aqui na Softblue nós lidamos diariamente com programadores que querem se desenvolver e também com aspirantes a programadores. Faz parte do nosso papel, nesse momento de aprendizagem do aluno, prestar suporte, tirar as dúvidas. Afinal de contas, ninguém gosta de ser jogado aos leões e não ter nem noção do que está acontecendo, não é?

Mas também é papel nosso aqui na Softblue ensinar o aluno a se virar sozinho. Na hora que ele estiver programando pra valer, em um projeto real, com prazos e chefe cobrando, ter esse perfil de pesquisador e resolvedor de problemas é o que vai fazer com que ele consiga seguir em frente.

Afinal, o “travei na programação” é algo absolutamente normal (vai acontecer com todos, pode ter certeza). Mas é o que você vai fazer quando isso acontecer que vai determinar se você será uma pessoa que resolve e com quem a empresa poderá contar.

Abraço e até a próxima!

Sobre o autor

Carlos Tosin

Carlos Tosin

Carlos Eduardo Gusso Tosin é formado em Ciência da Computação pela PUC-PR, pós-graduado em Desenvolvimento de Jogos para Computador pela Universidade Positivo, Mestre em Informática na área de Sistemas Distribuídos, também pela PUC-PR. Trabalha profissionalmente com Java desde 2002 e possui 6 anos de experiência no desenvolvimento de sistemas para a IBM dos Estados Unidos, utilizados a nível mundial. Atua desde 2005 com treinamentos de profissionais em grandes empresas e escreveu diversos artigos para a revista Java Magazine. Possui as certificações da Sun (agora Oracle) SCJP, SCJD,SCWCD, SCBCD, SCEA, IBM SOA e ITIL Foundation.

Comentários (20)

  • Derli

    Show de bola!!! Concordo 100%.

  • Ramiro Pamponet

    Já aconteceu comigo. E mesmo pesquisando na internet e nos fóruns sobre Java, muitas vezes a resposta não vinha a contento. Então, eu parava tudo é ia dormir. Diversas vezes eu sonhei com a solução do problema e na maioria das vezes apesar de não ser uma solução elegante, era uma solução eficaz e resolvia o problema.

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Essa de sonhar com a solução é muito boa! Pra mim as soluções normalmente vêm no banho! haha. Acredito que quando tua cabeça dá uma relaxada o cérebro faz umas conexões que não fazia antes.

  • Monica Nogueira

    Concordo plenamente. A pesquisa na internet sempre me ajudou muito. Tem até uma frase que sempre costumamos dizer… “O que você precisa saber???? Pergunta para o Google que ele vai responder “

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Isso mesmo, Monica! O Google é sempre o melhor amigo da gente 🙂

  • Marina de Melo Lópes

    Quando crescer quero ser como você! Um grande abraço.

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Marina, você já está no caminho e sua meta tem que ser melhor do que eu! A única diferença é que eu comecei há mais tempo, então pode ter certeza que é possível! Abraço

  • divino alberto

    Sou participante deste curso e o meu sonho é aprender!

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Isso aí, Divino: com atitude você vai conseguir! Abraço

  • Carlos Lima

    Ótimo post! Você tocou num assunto que é muito comum entre nós programadores, e principalmente para quem está começando. Essa dúvida ou insegurança em certas ocasiões traz até a desistência de seguir na programação.

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      É isso aí, Carlos! Não pode desistir, não. Muitas vezes não é fácil e é frustrante, mas tem que resolver! Abraço.

  • Elenilson

    Olá Carlos Tosin!! Muito boa essa dica, ufa! pelo menos estou indo no caminho certo, costumo ser bastante persistente para resolver um problema complexo. Valeu!!!

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Isso mesmo, Elenilson, não dá pra desistir! Os problemas fáceis todos resolvem rapidamente, mas resolver os problemas complexos é só pra quem está procurando o próximo nível 😉

  • Michel

    Ótimo post Carlos!
    Esse assunto de travar e não saber o que fazer é um pensamento que não sai da minha cabeça. A área em que eu trabalho está um pouco distante da programação, mas estou aprendendo java com o curso da softblue e estou muito satisfeito. Quero muito trabalhar como programador, mas pela idade e falta de experiência, fico pensando se conseguirei encarar essa pressão.
    Acredito que meu medo vai passar depois que eu conseguir o 1º emprego, algo que me deixou feliz ao ler esse post, é que gosto de pesquisar sempre que encontro algum problema, até mesmo para resolver alguns dos exercícios passados no curso de java!!
    Peço que você e o André Milani continuem com essas ótimas matérias, porque muitas vezes, uma dica por mais simples que seja, aumenta nossos horizontes, ajudando a encontrar um caminho e uma solução pra algo que parecia estar perdido!
    Obrigado!!

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Obrigado pelos elogios, Michel, e pela confiança no nosso trabalho! Queremos fazer a nossa mensagem chegar a cada vez mais pessoas 🙂

  • Edvaldo Melo

    Muito bom! Perfil investigador é a alma da coisa.

  • Wescley Bueno

    Muito boa as dicas, formei em TADS em 2012, aprendi java bem vagamente, pois na minha faculdade não aprofundava de verdade. Confesso que eu fiquei até um pouco frustrado com isso, pois eu acreditaria que quando eu me formasse, saberia programar. Como isso não aconteceu, acabei me especializando na área de redes em longas distâncias, mais sempre com a vontade de aprender Java de verdade. Foi quando em 2017 o meu amigo Google descobriu a Softblue pra mim….kkkkk comprei todos os cursos em uma promoção final de ano, foi um dos melhores investimentos que eu fiz, estou estudando e tenho certeza que agora irei aprender, pois os materiais são ótimos.

    • Carlos Tosin
      Carlos Tosin

      Legal, Wescley! Parabéns pela sua atitude de investir no seu conhecimento pra chegar onde deseja!

Deixe uma resposta para Carlos Tosin Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *