Frameworks são do bem ou são do mal?

Usar frameworks ou não? Eis a questão. Até no mundo da programação temos as batalhas épicas do bem contra o mal, e essa parece ser mais uma delas.

Assim como política e time de futebol, essa é uma questão que infelizmente uma boa parte das pessoas acha que tem resposta exata, resposta certa. Procure abrir a sua mente: FREE YOUR MIND!

Observe que eu não citei o uso de frameworks como sendo do bem ou do mal. O uso deles pode ser qualquer uma dessas opções se você não escolher adequadamente quando, como e qual utilizar.

Essa é mais uma daquelas questões que os alunos detestam ouvir a resposta. Quando, como e qual framework utilizar? Depende. Mas depende do que? Simples: assista ao vídeo onde eu esclareço justamente esses pontos:

Se você está querendo utilizar um framework porque estão falando bem, ou porque ele está em algum ranking, ou por qualquer que seja o seu motivo, eu fortemente recomendo que você coloque na balança todos os itens que eu levei em consideração no vídeo sobre usar frameworks ou não.

Como é possível constatar no vídeo, a resposta certa pode ser SIM como pode ser NÃO, dependendo dos fatores apresentados. Modismo não é um critério que deve ser levado em consideração.

Não é pelo fato de um framework estar bem posicionado em um ranking, ou ser bastante popular, que o uso dele em seu projeto será benéfico. Certamente o framework em si pode ser bom, mas somente terá resultados positivos quando utilizado nas circunstâncias para as quais foi criado.

Até deixo aqui a reflexão: será que esse tipo de questão não vale para outros aspectos da vida? Seja na vida amorosa, profissional, social, nem sempre o que serve para um, servirá para todos. Nossa, hoje estou filósofo, melhor ir livrar mais algumas mentes na Matrix!

Espero que você tenha aproveitado mais este conteúdo aqui do blog da Softblue. Eu gosto bastante dessas questões mais polêmicas e, certamente, o debate delas é sempre enriquecedor. Nos vemos em breve por aqui, um abraço e FREE YOUR MIND!

Sobre o autor

André Milani

André Milani

André Milani é formado em Ciência da Computação pela PUC-PR, pós-graduado em Business Intelligence pela mesma instituição e possui diversas certificações na área de TI. É também autor de vários livros na área de informática, entre eles livros sobre programação PHP, iOS e bancos de dados, pela editora Novatec. Atua desde 2003 com desenvolvimento web e treinamentos de profissionais. Também é desenvolvedor de aplicativos para o ambiente iOS da Apple, possuindo aplicações que juntas somam mais de 130.000 downloads na AppStore. Atualmente é autor de diversos cursos online de programação que podem ser encontrados no site da Softblue.

Comentários (8)

  • Danilo Trindade

    Ainda nao utilizo nenhum framework, pois estou focado nos fundamentos e utilização da programação, incluindo orientação a objetos. Mas te agradeço imensamente pelas dicas, assim que eu iniciar os estudos sobre framework (vou começar com aquele express que a Softblue oferece) vou lembrar dessas dicas.

    Obrigado mestre Milani!

    • André Milani
      André Milani

      Show Danilo! Cada passo de uma vez, certamente chegará longe! Abraço!

  • Gustavo Costa

    Boa noite, Sr. Milani.

    Depende das empresas, da preferências dos desenvolvedores e de onde nós vivemos:

    * Facebook, Google e Twitters utilizam frameworks nos seus projectos enquanto Apple não utiliza.
    * Os desenvolvedores que preferem utilizar frameworks por poucas razões:
    – economizar o tempo antes do prazo;
    – seguir os princípios de deisgn, principalmente material design e de acessibilidade.

    Os leigos em desenvolvimento web também preferem utilizá-los por ser fáceis demais.

    Os frameworks são ideais se o seu site for destinado aos americanos, canadianos, catarenses, emiradenses, europeus, japoneses, singapuranos e sul-coreanos que possuem uma internet hiper-rápida e telemóveis e computadores de alta tecnologia. Não são ideais nos países que possuem conexões lentas e o maior número de telemóveis de baixa tecnologia. Pode fazer um site com mais de 20MB de transferência e destiná-lo à população do Bespin, mas não vale destiná-lo à do Tatooine.

    Conversei com um desenvolvedor que criticou fortemente os frameworks, principalmente Bootstrap, citarei os motivos dele em seguida.

    * Os desenvolvedores, principalmente os fanáticos, optam por não os utilizarem por algumas razões:
    – Deve haver apenas um ficheiro em CSS;
    – A coisa deve ser mais simples e menos código para carregá-lo rapidamente sem framework;
    – A página inteira não deve ultrapassar mais de 200K de transferência na velocidade universal de internet para que possa carregar rapidamente e se tornar rápida nas conexões lentas de internet, como 3G, 4G e entre 1MB e 5MB e nos telemóveis de baixa tecnologia.

    Ele explicou-me a diferença entre os códigos utilizados no framework e os códigos simples sem framework:


    <div class="menu-bar">
    <ul class="menu">
    <div class="menu-main-container">
    <ul id="menu-main" class="menu">
    <li id="menu-item-191" class="menu-item menu-item-type-post_type menu-item-object-page current-menu-item page_item page-item-189 current_page_item menu-item-191">

    Estes códigos geram 283 bytes.

    Já, eis os códigos simples:


    <ul id="mainMenu">
    <li class="current">

    Gera apenas 43 bytes.

    Além disso, ele criticou fortemente o Bootstrap por não possuir princípios e regras de acessibilidade, por exemplo, falta de name nas hiperligações e de legenda nas imagens interiores, e de fieldset que é requerido na acessibilidade. A ausência de label no formulário indica o desrespeito à acessibilidade.

    • André Milani
      André Milani

      Cada caso é um caso. O framework certo aplicado na situação certa não gera problema e ainda pode ajudar muito 😉 Um abraço!

  • divino alberto

    André, meu sonho é ser um desenvolvedor de sistemas, fiz matrícula com vocês e estou participando.

    • André Milani
      André Milani

      Legal Divino, é só ser determinado e certamente realizará o seu sonho! Conte conosco, um abraço!

  • Alessandro Pino

    Nossa, quando vi o e-mail da Softblue que me redirecionou até aqui, quase não acreditei hehehe. Estava em uma discussão prolongada exatamente sobre esse assunto na Universidade, essa semana. Pois bem, apesar de ainda ser um estudante em programação (e fã número 1 da softblue 😀 tenho todos os seus cursos), fiquei feliz em saber que construí um conhecimento que me levou até um dicernimento que considero bom. Compartilho da mesma opinião que a sua sobre esse assunto – Frameworks – isso me faz pensar que estou indo no caminho certo, sem me deixar levar por modismo ou opiniões duvidosas. Enfim, obrigado pelo conteúdo. Espero que venham mais artigos, vídeos etc. da Softblue. Isso mostra que essa grande escola está evoluindo de forma significativa! Parabéns, sucesso!

    • André Milani
      André Milani

      Perfeito Alessandro! Certamente você tem a mente aberta para debater sobre os temas, essa é uma característica que certamente te levará muito longe nessa jornada! Forte abraço =D

Deixe uma resposta para Alessandro Pino Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *